Nova Igreja Paroquial

A Dedicação e Bênção da Nova Igreja realizou-se a 03 de Dezembro de 2011, apenas cerca de dois anos depois do início das obras de construção (17 de Novembro de 2009). A 01 de Outubro de 2012 fez-se finalmente a transferência de toda a actividade paroquial para o novo templo.

A rapidez da construção está em profundo contraste com a extrema lentidão de todo o processo relativo à igreja Paróquia, iniciado em meados dos anos 80, uma verdadeira Via Sacra.

O sonho da existência de uma Igreja Paroquial começou a tomar forma pouco depois de uma Comissão de Leigos ter sido formada a 03 de Dezembro de 1980, sob orientação de D. Albino Cleto, Bispo Auxiliar de Lisboa, com o objectivo de preparar a desanexação de Santa Maria de Belém, à qual S. Francisco Xavier estava ligada desde as sua criação, em 25 de Março de 1959.

A Comissão de Leigos, orientada pelo Pároco de então de Santa Maria de Belém, Pe. Henrique Canas, iniciou diligências para a recolha de fundos destinados à construção da Igreja Paroquial de S. Francisco Xavier.

O primeiro passo concreto ocorreu a 24 de Fevereiro de 1983, data da escritura pública de compra de um terreno de 2.836 metros quadrados à Câmara Municipal de Lisboa, na altura presidida pelo eng. Nuno Krus Abecasis. O terreno custou 283.600 escudos.

Com um terreno próprio, começou então a longa Via Sacra, aqui resumida nas suas 14 estações:

I - A Câmara Municipal de Lisboa (CML) e a Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL) diligenciaram junto do Paróquia para a permuta do terreno destinado à Nova Igreja, de menores dimensões, a poucos metros, prometendo, em troca, oferecer o projecto de arquitectura.

A licença para a troca de terrenos foi dada verbalmente pelo Sr. D. António Reis Rodrigues, tendo sido acompanhado todo o processo por D. Albino Cleto. A 8 de Agosto de 1995, o Patriarcado, por intermédio de D. Albino, deu finalmente autorização oficial, decorrendo pouco depois a cerimónia de assinatura da permuta.

II - Em Abril de 1997, a 28, registou-se a aprovação do Programa Base da futura Igreja Paroquial, no qual são definidos os edifícios a construir, respectivas áreas e utilização futura.

III - A CML e a Comissão Fabriqueira da Paróquia celebram um protocolo a 25 de Junho de 1997 no qual a edilidade promete oferecer o projecto de arquitectura e de especialidades, escolhendo o arquitecto Troufa Real para desenhar a nova Igreja Paroquial.

IV - A 18 de Outubro de 1999, Troufa Real faz a entrega na Paróquia da maqueta do complexo da Nova Igreja Paroquial, que inclui uma torre e campanário, além de uma miradouro, a Igreja propriamente dita, a Residência Paroquial e um edifício destinado ao Centro Social, Salão de Conferências e salas para Catequese e outras actividades.
O projecto, arrojado, dá a forma de uma caravela à Igreja e aplica cores fortes a alguns dos edifícios, fazendo ligação directa às cores das bandeiras portuguesa e indiana, à vida de S. Francisco Xavier e aos locais onde exerceu a sua actividade missionária.
A proposta do arquitecto suscitou alguma polémica, entretanto ultrapassada.

V - O protocolo sobre a oferta do projecto de arquitectura e de especialidades foi renegociado mais tarde, tendo sido obtida aprovação camarária unânime. O novo protocolo foi assinado a 27 de Dezembro de 2001, ainda na presidência de João Soares, comprometendo-se a edilidade a comparticipar com 46,8 mil contos (cerca de 234 mil euros), mas até agora apenas foi entregue uma primeira fatia de cinco mil contos, após as eleições.

VI - O caminho para a Nova Igreja começou a ficar mais plano, mas ainda longo, a 19 de Maio de 2004, data que a CML aprovou o projecto de arquitectura, desencadeando-se os processos de licenciamento da construção, enquanto no Secretariado das Novas Igrejas do Patriarcado de Lisboa o projecto só obteve aprovação ao fim de quase quatro anos...

VII - Em Julho de 2007 a Paróquia consegue finalmente a licença da aprovação do projecto da Nova Igreja Paroquial. E a 6 de Dezembro de 1997 realiza-se a cerimónia de bênção e lançamento da primeira pedra, presidida pelo então Bispo Coadjutor de Lisboa, D. José Policarpo.

VIII - Ano e meio depois, em Dezembro de 2008, a Câmara Municipal de Lisboa emitiu a necessária licença de construção.

IX - Ainda em Dezembro de 2008, a Comissão da Nova Igreja, entretanto criada na Paróquia para auxiliar o Pe. António Colimão em todo este processo, escolheu de entre vários candidatos a Construtora Vila Franca para realizar a edificação da obra.

X - Quase um ano depois, a 25 de Setembro de 2009, após múltiplas diligências, o Pe. António Colimão recebeu finalmente a credencial do Cardeal Patriarca, D. José Policarpo, indispensável para a celebração do contrato com a Construtora Vila Franca.

XI - A formalização do contrato ocorreu a 9 de Outubro de 2009, numa cerimónia realizada na actual Igreja Paroquial, iniciando-se as obras a 17 de Novembro de 2009.

XII - Iniciam-se negociações com vários bancos para financiamento da obra, tendo sido escolhido o Banco Espírito Santo (BES), com quem foi contratualizado um empréstimo de 3 milhões de euros, para o qual foi recebida, a 27 de Outubro de 2010, a indispensável credencial do Cardeal Patriarca de Lisboa, autorizando a contracção desse empréstimo.

XIII - O empréstimo de 3 milhões de euros foi assinado com o BES a 15 de Novembro de 2010. Esta verba apenas contempla a primeira fase das obras, que inclui a construção da Igreja e da Residência Paroquial, deixando para mais tarde a torre (mas cujas fundações estão prontas) e o Centro Social.

XIV - A 3 de Dezembro de 2011 o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, preside à Dedicação e Bênção da Nova Igreja Paroquial.