Património da Paróquia

Pertencem à Paróquia, além da Nova Igreja Paroquial (para onde passámos todas as actividades e serviços a 01 de Outubro de 2012), a anterior Igreja Paroquial, o Pavilhão Pré-fabricado que nos albergou durante mais de 22 anos , a Igreja da Sagrada Família em Caselas e a Ermida de São Jerónimo.

O complexo paroquial, cuja construção ainda não está concluída, incluirá áreas de formação, capelas mortuárias, zonas sociais, residência do pároco e um campanário.

Antiga Igreja Paroquial

Criada há mais de 50 anos, em 1959, mas autónoma apenas desde 1980, a Paróquia de S. Francisco Xavier teve a sua sede num Pavilhão Pré-fabricado até 01 de Outubro de 2012, data em que toda a actividade paroquial foi transferida para a Nova Igreja Paroquial, cuja Dedicação e Bênção ocorreu a 03 de Dezembro de 2011, cerimónia presidida pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo.

A antigal Igreja Paroquial fora benzida a 03 de Dezembro de 1989, dia da festa do Padroeiro, por D. Albino Cleto, na altura Bispo Auxiliar de Lisboa que tinha a seu cargo a responsabilidade pela nova Paróquia.

Apesar da exiguidade das instalações, a nova Igreja Paroquial e o largo fronteiro foram palco das mais variadas actividades religiosas, culturais e de entretenimento levadas a cabo ao longo dos anos, de que se destacam, além das celebrações eucarísticas, as procissões, os concertos, os almoços, o Arraial de Santo António e a Venda de Natal, esta última a mais antiga iniciativa para recolha de fundos destinados à construção da Nova Igreja.

A antiga Igreja Paroquial está actualmente desactivada.

Igreja de Caselas


Ex-libris deste lindo bairro lisboeta, fica no topo poente da rua com o seu nome, à entrada do bairro pelo acesso de Monsanto.

Entre 1944 e 1949, quando se plantava o parque de Monsanto, nascia por instruções do antigo Ministério das Corporações um bairro de Casas Económicas, com 159 alojamentos, em moradias geminadas de dois pisos, uma escola primária, um clube recreativo, e a Igreja de Caselas, começada a construir em 1947. O projecto do bairro foi do Arquitecto Couto Martins e encarregou-se das obras o construtor António Mendes.

O Cardeal Patriarca de então, D. Manuel Gonçalves Cerejeira, benzeu o bairro na sua inauguração, em 27 de Abril de 1949, e dedicou a igreja à Sagrada Família, bem como o bairro que tomou o nome de "Bairro de Casas Económicas de Sagrada Família de Caselas". Nessa altura o bairro ficou a fazer parte da freguesia de Nossa Senhora da Ajuda.

A 24 de Fevereiro de 1950 o Pe. Abílio da Costa Reis Lima foi nomeado Capelão de Caselas, tendo tido uma acção notável e tendo também tomado parte activa na fundação do Ginásio, do qual era o sócio número 2.

Em 24 de Julho de 1978 o Padre Francisco dos Santos Costa foi nomeado sucessor do Pe. Reis Lima, que falecera. Promoveu de imediato pequenos arranjos dando início a uma campanha de angariação de fundos para obras, que consistiram em: capela mortuária no sítio do baptistério e da saleta para reuniões, definitiva colocação de Fonte Baptismal, altifalantes, painel de azulejos alusivos ao Presépio, reparação de outro painel, colocação de uma artística grade de ferro para defesa e protecção da igreja e dos painéis de azulejos da entrada.

As obras, orçadas em perto de 209 mil escudos, começaram em Fevereiro de 1979, e terminaram em 1979, no 30º aniversário da inauguração da igreja, com festa muito concorrida.

Por diversas vezes a Igreja da Sagrada Família foi visitada por prelados ilustres: Em 1953 o Arcebispo de Cízico aqui pregou um tríduo preparatório da festa da Sagrada Família. Em 1959, quando da criação da freguesia de São Francisco Xavier, dois Bispos Missionários de Angola trouxeram em procissão a imagem de Francisco Xavier.

Presentemente, além de Baptizados e Casamentos, na Igreja de Caselas celebra-se a Eucaristia aos Domingos e à Quinta-feira, funcionando também outros serviços, como a Catequese e a Conferência Vicentina.

Ermida de São Jerónimo

Construída em 1514 dentro dos terrenos da Cerca dos monges do Mosteiro de Santa Maria de Belém, a Ermida de São Jerónimo é sóbria e de raro equilíbrio de volumes, que impressiona e encanta todo o visitante, não só pelo seu exterior, mas principalmente pelo interior – uma autêntica e minúscula réplica do gigante Mosteiro dos Jerónimos.

Tem planta quadrangular rematada no topo por um cordão interrompido por quatro pináculos cónicos de forma retorcida; em cada canto existem gárgulas semelhante às do soberbo Claustro do Mosteiro dos Jerónimos e os seus cunhais exteriores estão reforçados por quatro «gigantes» a suportar o peso das paredes e do tecto.

A porta principal, de reduzida dimensão e decoração simples (um escudo real, encimado pela coroa, ladeada por duas esferas armilares, símbolos do reinado de D. Manuel II), está virada para ocidente, proporcionando um maravilhoso panorama do horizonte.

Quem teria projectado e construído a Capela? É atribuída ao Mestre Boitaca e construída por Mestre Rodrigo Afonso (?!).

Desde que os frades abandonaram o Mosteiro, a Capelinha serviu de arrecadação de coisas várias. Pelo Decreto lei nº 32 973 de 18/8/95 passa a ser considerada Monumento Nacional.

Em 1976 é cedida, por empréstimo, para o culto habitual de sábados e domingos, segundo o calendário do Rito Ortodoxo de Portugal à Igreja Ortodoxa Russa. Foi devolvida ao Patriarcado em 1978 e faz parte integrante da Paróquia de São Francisco Xavier.

Presentemente a Ermida de São Jerónimo é muito solicitada para Baptismos e Casamentos.